Tomoe Gozen 巴御前 – Uma Guerreira Samurai

Share this

Tomoe Gozen 巴御前

Na longa História do Japão, Tomoe Gozen 巴御前 foi uma das poucas guerreiras samurai, ou Onna-bugeisha 女武芸者. Ela lutou nas batalhas da Guerra de Genpei 源平 (1180-1185), que determinaram a queda do Clã Taira e marcou-se o final histórico da Era Heian (794-1185). A guerra foi uma série de conflitos entre os clãs Minamoto e Taira a fim de determinar quem seria o novo Shôgun 将軍.O nome Tomoe significa “círculo perfeito” e Gozen é muitas vezes associado a um título feminino, mas na verdade, era um título honorário outorgado a homens e mulheres no antigo Japão e que pode ser traduzido como ‘honorável’.De acordo com o Heike Monogatari 平家物語, ela serviu Minamoto no Yoshinaka源義仲 (1154-1184), também conhecido como Kiso Yoshinaka 木曾 義仲. Segundo o Genpeitôjôroku 源平闘諍録 era filha de Higuchi Kanemitsu (?-1184) 樋口兼光 (nome original, de família: Nakahara Kanemitsu 中原 兼光). E ainda, de acordo com o Genpeiseisuiki/Genpeijôsuiki 源平盛衰記 (versão estendida de 48 livros do Heike Monogatari) ela era filha de Nakahara Kento 中原兼遠 (?-1181) e irmã de Higuchi Kanemitsu 樋口兼光 e Imai Kanehira (1152-1184) 今井兼平 (nome original de família: Nakahara Kanehira).Ela é descrita como concubina de Minamoto no Yoshinaka, mas sua função precisamente era de sua assessora. Ainda segundo o Heike Monogatari, Yoshinaka tinha Fujiwara no Ishi 藤原伊子 (1167-1207) como esposa em Kyôto, filha de um nobre, Matsudono Motofusa 松殿基房 (nome original: Fujiwara no Motofusa 藤原基房1145-1231). Segundo o capítulo do Heike Monogatari chamado ‘Os últimos Momentos de Kiso’, Tomoe Gozen lutou junto a Yoshinaka que contava com a fidelidade de 4 comandantes que formavam os ‘Quatro Deuses Celestiais’: Imai Kanehira, Higuchi Kanemitsu, Nenoi Yukichika 根井 行親 (? -1184) e Tate Chikatada 楯 親忠 (? -1184). Ela é descrita como sendo uma mulher de belos traços, de pele branca e longos cabelos, treinada desde criança na arte da arquearia e Naginata 薙刀. Dizem que ela valia por 1000 guerreiros.“Tomoe era especialmente linda, com pele branca, cabelos longos e de encantadoras características. Ela também era notavelmente forte com o uso do arco, e ao empunhar a espada ela uma guerreira com o valor de mil, pronta para confrontar demônios ou deuses, ela estando montada ou não. Ela cavalgava um cavalo de força impecável com grande habilidade. Assim que as batalhas se tornavam iminentes, Yoshinaka a mandava como seu primeiro capitão, equipada com uma armadura forte, uma grande espada e um poderoso arco; e ela conquistava mais atos de valor do que qualquer outro guerreiro.” (Heike Monogatari)Na batalha do Rio Uji, encurralados pelas tropas inimigas e na iminência da derrota, seguiu com Yoshinaka em fuga e conta a história que mesmo restando apenas 7 e até 5 cavaleiros na retaguarda, ela não foi atingida. Neste momento Yoshinaka volta-se para ela e ordena-lhe que fuja, pois para ele a morte em batalha era certa e ela sendo mulher poderia sobreviver de qualquer modo e que ele não queria passar para a história como um fugitivo que em sua última batalha foi acompanhado de uma mulher e com isso tenta fazê-la escapar com segurança. Ela recusa e por 3 vezes Yoshinaka repete a ordem. Ela aceita com a condição de realizar um último ato em favor de Yoshinaka. Quando um guerreiro inimigo de nome Onta no Hachirômoroshige 御田八郎師重 se aproxima a cavalo, Tomoe Gozen emparelha seu cavalo ao do inimigo e o derruba torcendo e arrancando seu pescoço. Ela despe sua armadura ensanguentada e foge para as províncias orientais, desaparecendo da história. Algumas fontes indicam que ela se recolheu num templo budista e faleceu em 1247.A morte de Yoshinaka é envolta em lendas, dizem que para não ser capturado pelo inimigo, ele pulou de seu cavalo com a espada entre os dentes e com o choque com o solo, a espada teria trespassado sua cabeça. O final mais provável é de que ele foi morto por membros de seu próprio clã, em Shiga na atual cidade de Otsu.Estes episódios da vida de Tomoe Gozen foram amplamente divulgados em peças de Teatro Nô e Kabuki. Naginata mais largas e mais curvas são chamadas de Tomoegata, em sua homenagem.

Porém, não foi a única mulher samurai da história.

Testes recentes de DNA de escavações arqueológicas de campos de batalha de samurais comprovam uma presença feminina impressionante. Dos 105 corpos encontrados em um monte de batalha, 35 deles eram do sexo feminino. Tomoe poderia ter sido um desses. Seja qual for o seu destino, ela representa uma resiliência e coragem femininas que a história geralmente ignora. Ela lutou como um homem, mas fez saber que era uma mulher. Ela manteve sua individualidade enquanto exibia força. É um equilíbrio digno da cruzada de qualquer mulher.