KickiBoxing- verdadeira historia

Share this

O Kickboxing começou por se destacar como um desporto de combate numa altura em que as artes marciais privilegiavam uma tradição ainda muito arreigada aos valores espirituais. As suas origens remontam ao Muay thai, a arte de combate ancestral tailandesa.

Enquanto o Muay thai se tornou num desporto nacional na Tailândia, o Kickboxing foi a modalidade que acabou por nascer da junção de diferentes artes marciais.

Nos anos 60 os primeiros Thai Boxers aportam no Japão. A Tailândia era um País desconhecido, e sua arte o Muay Thai era uma arte enigmática e pouco conhecida . Muitos japoneses acreditam que sua arte – o Karate era refinada, técnica, habilidosa, de poder e superior as outras artes marciais asiáticas.

No início dos anos 1950, Osamu Noguchi, um amante do boxe, e Tatsuo Yamada, o inventor do Nihon Kempo Karate-do, interessaram-se especialmente pela capacidade de pleno contato do Muay thai. Os dois aficionados decidiram estudar a modalidade de forma coordenada com as técnicas do Karate. A dupla começou a promover combates entre lutadores de Muay thai e Karate e do desenvolvimento destas duas artes marciais surge o termo Kickboxing. Em 1963, houve um luta competitiva entre atletas do karate x muay thai. O Japão não teve bons resultados, o que forçou uma profunda reflexão por parte dos lutadores e treinadores japoneses, principalmente Osamu Noguchi, Kenji Kurosaki e Tatsuo Yamada. Acreditavam ser necessário investir em tempo, dinheiro e nova formação de seus lutadores. A expansão do desporto de combate foi motivada pela exposição televisiva que lhe foi dedicada no Japão a partir de 1970.

Os primeiros desafios entre Karate X Muay Thai foram televisionados ao vivo para todo o Japão. Milhões de telespectadores , puderam ver a fama dos karatecas em quebrar tijolos, tábuas, pedras e gelo com as mãos e pés, com suas faixas pretas nas cinturas. Do lado oposto estavam lutadores Thai , com seus shorts castigados de treinos, com o peculiar Mong kon na cabeça e Kru Rang nos braços. Então os poderosos karatecas japoneses foram derrotados um a um, frente ao tailandês. Isso deixou uma decepção muito grande na comunidade Karateísta, e outros confrontos foram realizados. Mais de uma vez a equipe japonesa foram derrotados frente aos poderosos Thai Boxers. Essa foi a primeira vez que o termo Kickboxing foi utilizado, pois ninguém sabia o que era Muay Thai , e sua pronúncia difícil e modo peculiar da arte, o fez o uso do termo de Kickboxing, que traduzindo seria THAI BOXING.

A palavra criada da língua inglesa descrevia ao público japonês, uma luta combinada de boxe com chutes, joelhos e cotovelos.

Não havia uma palavra em japonês para o novo esporte, mas estavam decididos a não fazer referencia ao esporte tailandês por 2 motivos:

1) O nome muay thai era difícil de ser pronunciado;

2) Estavam sendo acusados de plágio do esporte nacional pela Tailândia. Importando treinadores e métodos de treinamento, estava surgindo então o kickboxer japonês.

A derrota dos Japoneses levou uma reflexão muito grande no Japão e fizeram com que os japoneses importassem técnicos e atletas tailandeses para aperfeiçoa-los na arte do Muay Thai. Os japoneses foram determinados em melhorar seu nível de seus competidores, inclusive mandando a Tailândia lutadores para aprender a arte marcial tailandesa.

Entre em cena o jovem Tadashi Sawamura . Nascido em 1943 o nome de Hideki Shirada, praticou rugbi na universidade e ja tinha ganho diversos torneios de karate. Após se apresentar para Noguchi, foi desiludido por este: Noguchi acreditava que lutar num ringue era muito diferente de lutar num shiai-jo (área esportiva do karate). Se não tivesse um treinamento mais especifico, dificilmente o jovem karateca conseguiria vencer.

Sawamura foi para a Tailândia para provar que ele não poderia perder pois acreditava que seu karate e seu espirito samurai lhe garantiriam. Foi derrotado no 4º round com fraturas severas que necessitaram de 16 meses para cicatrizar.

Enquanto estava se recuperando, encontrou-se mais uma vez com Noguchi e disse que gostaria de estudar mais o recem criado kickboxer japonês. E que queria que Noguchi o aceitasse como aluno. Plenamento recuperado, entregou-se com bastante disciplina aos novos ensinamentos e conquistou a revanche na Tailandia contra o lutador que o nocauteou.

Um destes lutadores era Kenji Kurosaki, que apesar de ser derrotado várias vezes, continuou persistindo no seu objetivo de alcançar os padrões tailandeses da luta em especial nos estádios de Bangkok.

Kurosaki após ser derrotado decide viver em Bangkok por um tempo, treinamento na escola do pai de Naront Siri (Pak). Kenji Kurosaki. Apesar de ser repetidamente derrotado, continuou a perseguir seu objetivo de alcançar os níveis necessários nos ringues de Bangkok e se tornou um dos rostos mais conhecidos no Lumphinee e Ratchadamnoen Stadium. Aposentou-se como lutador de Muay thai após ter realizado 126 lutas e conquistando o nobre e honorário título de “Rachadamner”. Kenji Kurosaki voltou para sua escola no Japão, trazendo com ele o jovem lutador Pak, para continuar com o Muay thai, tornado-se o percussor da arte no Japão que posteriormente veio a ser conhecido como “Kickboxing”. Formando vários e os melhores campeões da época como Toshio Fujiwara, Mitsuo Shima, e etc. Kurosaki descende de família de Samurais, e tinha seu próprio Dojo chamado Dojo Mejiro que depois veio a se chamar “Mejiro Gym”. No início o Kickboxing permitia projeções similares ao Judô para se diferenciar do Muaythai, más posteriormente essas regras foram revogadas. Por ter divergências com Osamu Noguchi pelo título de criador do “Kickboxing” (esse termo foi um criado por ambos, más que Noguchi tomou somente para ele), resolveu criar seu próprio estilo conhecido com “Shin Kakuto Jutsu” (Nova Arte de Combate).

O termo kickboxing (キックボクシング) em si foi introduzido na década de 1960 como um anglicismo japonês por Kenji Kurosaki, para uma arte marcial híbrida que combina muay thai e Karate que ele tinha introduzido em 1958.

Na mesma época, nos Estados Unidos, numerosas escolas de artes marciais organizaram encontros de Full Contact, nomeadamente nas disciplinas de contato: karate, taekwondo, kempo, entre outros.

Ele estava determinado com que seu nome repercutisse, para ele ser um instrutor respeitável na arte do Muay Thai. Kenji Kurosaki foi o segundo estrangeiro a lutar nos ringues da Tailândia, a vencer e ser reconhecido. Pois o primeiro estrangeiro foi o Boxeador Australiano Jimmy Carruthers contra o lutador Tailandês Chamroen Songkitrat.

Kenji Kurosaki ajudou a desenvolver o Kickboxing com valores agregados das artes: Karate Kyokushinkaikan e do Muay Thai.

Kenji Kurosaki nasceu em uma família de artista marciais , no dia 15 de março de 1930 em Tóquio – Japão.

Aos 21 anos , em 1951 começou a treinar Karate Goju Ryu sob a tutela do Sensei Gogen Yamaguchi. Em 1953 conhece o Mestre Masutatsu Oyama e decide treinar este forte estilo de Karate de Contato, o Kyokushinkaikan. Neste tempo Mestre Masutatsu Oyama era considerado um dos grandes lutadores do Japão.

Estudou o estilo Kyokushinkaikan com afinco, e com isso tornou-se um dos braços direito do Mestre Masutatsu Oyama e um grande lutador também.

Em 1966, devido aos vários problemas políticos com o Mestre Masutatsu Oyama e o fato que não estar feliz sobre o real sentido do Karate Kyokushinkaikan, decide-se afastar do estilo e do Mestre Masutatsu Oyama.

Ele criou sua própria escola em Tóquio chamando-a de Mejiro Dojo (agora se chama Kurosaki Dojo), que se converteu rapidamente num dos Dojos, mas famosos do Japão.

No ano de 1967, Kenji Kurosaki viaja pela primeira vez à Tailândia, intrigado por tudo que havia escutado sobre esta arte marcial, desconhecido, perigoso, chamado de Muay Thai. Foi à cidade de Bangkok para investigar tudo o que estava relacionado com essa arte. Começou a treinar com os mestres tailandeses e a provar a sua capacidade física e mental, a concentração dos treinamentos do Karate Kyokushinkaikan.

Kenji Kurosaki, logo após um tempo de treinamento decide participar das competições de Muay Thai, convertendo-se o primeiro lutador não tailandês a subir nos ringues da Tailândia e a enfrentar os temidos lutadores Thai. Foi assim que um dos melhores lutadores de Karate do Japão caía sendo derrotado por nocaute, no primeiro round. Foi uma grande decepção para um dos mais refinados Karatecas da época.

Ele decide voltar a Tóquio – Japão, e a treinar seus alunos nessa arte, voltando um tempo depois com uma equipe japonesa. Outra grande surpresa foi que ao final dos combates, todos os lutadores japoneses foram derrotados, causando uma profunda humilhação.

Então Kenji Kurosaki decide viver um tempo em Bangkok, treinando na escola de Naront Siri e de seu filho PAK. Kenji Kurosaki apesar de ser derrotado repetidamente, continuou persistindo em sua meta de alcançar os requerimentos e conhecimentos ao redor de Bangkok, para levar seu nome no mais alto escalão e ser considerado um Mestre.

Começou então a provar nos ringues, mais precisamente nos Estádio Lupini e do Estádio Raia. No momento em que encerrou sua carreira como lutador de Muay Thai, havia lutado 126 vezes, ganhando o título de Rachaderman.

Kenji Kurosaki voltou ao Japão, para a sua Academia, trazendo junto com ele o jovem lutador chamado PAK, para que desse prosseguimento ao aprendizado do Muay thai. Nesta época nasceria uma das Artes Marciais mais praticados hoje em dia, que se chamaria Kickboxing, uma versão suavizada do Muay Thai; mescla do Karate Kyokushinkaikan e Muay Thai.

Criou-se então esta arte com as mesmas saudações e a mesma disciplina do Karate e do Muay Thai, assim como também a primeira Associação de Kickboxing, sem saber a repercussão que esta arte adquiriria através dos anos e no mundo inteiro.

Hoje em dia, vemos o desvirtuamento do Kickboxing como Arte Marcial e que poucos conhecem ou tem a idéia de como surgiu e como foi criado, nem bem realmente sabem quem foi o seu fundador.

Na década de 1960 nos estados unidos, numerosos praticantes de karatê sentiam-se frustrados com as regras em vigor nas competições, que privilegiavam o controle do toque. Procuraram então um desporto na qual seria utilizada a potência dos golpes com as pernas e dos punhos, em vez de parar cada golpe antes de tocar no adversário.

Foi desenvolvida uma técnica na qual os lutadores não podiam dar chutes abaixo da linha da cintura, foi dado o nome de full contact. Embora fossem proibidos chutes abaixo da cintura, os adversários podiam bater uns nos outros sem muitas restrições, daí o nome full contact ( full= pleno , contact= contato), ou seja, durante a “luta” o contato é muito marcante.

Foi utilizado o karate como base, sendo que o nome full contact é apenas uma contração do termo karate full contact, ou killer karate, pois, na época morreram alguns lutadores durante combates pelos quais disputavam títulos e bolsas nos EUA.

As artes marciais começavam cada vez mais a ser confrontadas com a necessidade de contato. Em 1962, Count Dante (Conde Dante), Ray Scarica e Maung Gyi decidem realizar os primeiros torneios inclusivos para as diferentes artes marciais, explorando o contato pleno.

É desta experiência que começa a surgir o Karate Full Contact. Estes torneios imortalizaram estrelas como Joe Lewis, Bill Wallace, Benny Urquidez e Jeff Smith. Mas a separação oficial do Karate e do Kickboxing só acontece com a formação da Associação Profissional de Karate (Professional Karate Association – PKA) em 1974 e da Associação Mundial de Kickboxing (World Kickboxing Association – WKA). Estas duas organizações tornaram-se pioneiras na organização de regras para os combates, sistemas de ranking e na criação de programas de desenvolvimento para as duas modalidades. Entretanto, na Europa, Georg F. Brückner introduzia o Kickboxing na Alemanha nos anos 1970. Alguns lutadores Europeu de Karate que tinham treinado no Japão no Mejiro Gym aprendendo o conceito do Kickboxing entre eles estavam George Bruckne. George Bruckne levar a modalidade para o Europa.

Atleta de Judo, Jiu Jitsu, Karaté e Taekwondo, Brückner tinha uma escola de artes marciais em Berlim em Wilmersdorf onde formava nestas modalidades. Conheceu o Kickboxing através de Mike Anderson e tendo-se apaixonado pelo desporto de combate, Georg F. Brückner lançou-se no projeto de começar a desenvolvê-lo no seu continente.

E assim o fez: durante anos viajou pelos países da Europa a realizar eventos desportivos e palestras. George Bruckne e Mike Anderson fundão a WAKO na Europa.

Em 1976, Georg F. Brückner torna-se num dos co-fundadores da WAKO (World Association of Kickboxing Organizations), e realiza nesse mesmo ano o primeiro campeonato Europeu de Kickboxing. O primeiro torneio no continente que viria a iniciar uma tradição de competição intensa na modalidade. Mike Anderson levam conceito do Kickboxing para o Estados Unidos.

Quase quatro décadas depois, a WAKO tornou-se na principal federação internacional de Kickboxing com filiação no Comité Olímpico Internacional e participação dos World Combat Games da SPORTACCORD.

Em Portugal, Dominique Valéra teve um papel primordial na introdução do Kickboxing, mas a sua própria entrada na modalidade deveu-se a um malogrado incidente que o afastou do Karate. Formado em Judo e Karate, o atleta francês ganhou notoriedade nas artes marciais com títulos que conquistou entre 1966 e 1975.

Mas em 1975, no Campeonato Mundial de Long-Beach, no estado norte- -americano da Califórnia, Dominique Valéra é desqualificado por excesso de força num combate contra o dominicano P. Antonio Rivera. E enquanto Rivera atinge o terceiro lugar no torneio, Dominique é expulso do Word United Karate Organization.

Depois da desilusão no Karate, o atleta francês decidiu apostar no Full Contact, uma modalidade, na altura, ainda muito desconhecida. Depois de assistir a um torneio em Berlim, na Alemanha, Dominique Valéra decide-se a investir no desporto de combate. Começou a treinar Kick Boxing nos Estados Unidos com Bill Wallace e Jeff Smith e quando regressa à Europa implementa a arte marcial primeiramente no seu leque de alunos de Karate. Com o retorno de uma viagem pela Europa, ajuda estrutura e divulga o Kick boxing no EUA.

Kickboxing se refere apenas a um grupo de artes marciais e esportes de combate em pé baseados em chutes (em inglês: kick) e socos (em inglês: boxing) como também é um estilo de arte marcial e desporto de combate.

Hoje o esporte é dividido nas seguintes disciplinas:

Musical Form: A mais bela modalidade do KickBoxing, considerada a Ginástica Olímpica Marcial. Os atletas coreografam movimentos tradicionais das artes marciais com a música utilizando-se de armas ou não.

Semi contact: Geralmente lutado no tatame. Te como objectivo marcar pontos com golpes leves. Os chutes somente são válidos acima da cintura e aplicados com a canela ou peito do pé. A luta é parada a cada ponto marcado.

Light contact: Lutado geralmente também no tatame. Variante do full contact, com as mesmas técnicas de forma contínuas, mas bem controladas, onde predomina a técnica, perícia e velocidade em detrimento da força. Ganha quem aplicar mais golpes certeiros demonstrando uma técnica mais apurada.

Full contact: Nesta modalidade, os atletas podem utilizar técnicas de mão do boxe tradicional e todos os tipos de chutes, que atinjam o adversário da cintura para cima, observando a linha lateral e frontal do tronco e cabeça.

Low kick: É um full contact mais completo no qual é válido o uso de caneladas nas coxas interna e externamente obedecendo à linha do joelho para cima.

K1 – Antigo: Thai kick. Agora chamado: K-1. É uma modalidade de contato pleno que tem quase as mesmas regras do muay thai, como: atacar com chutes as pernas e articulações da mesma lateralmente, giratória baixa de calcanhar, esporões, projeções com a guarda, joelhada e soco giratório.