Kenjutsu

Kenjutsu ( 剣 術 ) “Técnica da Espada”, ( koryū ) de esgrima japonesas , em particular aquelas que antecedem a Restauração Meiji . Os estilos modernos de kendo e iaido que foram estabelecidos no século 20 incluíram a forma moderna de kenjutsu em seu currículo, também. Kenjutsu, que se originou com a classe samurai do Japão feudal, significa “o método, a técnica ou a arte da espada”. Isso é contrário ao kendo, que significa “o caminho da espada”.


As atividades exatas e as convenções realizadas ao praticar o kenjutsu variam de escola para escola, onde a palavra escola aqui se refere à prática, métodos, ética e metafísica de uma determinada tradição, mas geralmente incluem prática de técnicas de campo de batalha sem um adversário e técnicas em que dois dos praticantes executam kata (com ataques de contato completos ao corpo em alguns estilos e sem ataques de contato corporal permitidos em outros). Embora o treinamento do kata sempre tenha sido o pilar, em períodos posteriores, as escolas incorporaram sparring sob uma variedade de condições, usando bokutō de madeira sólida para usar a espada de bambu ( shinai ) e a armadura ( bōgu ). XIII Nos tempos modernos, a luta contra a arte marcial japonesa é mais fortemente associada ao kendo e é praticada principalmente por estudantes ou pela força policial. Embora o kendo seja comum no Japão, também é praticado em outros países ao redor do mundo.
Existem vários estilos de kenjutsu. Os primórdios da arte remontam ao período Kofun da história japonesa, com registros sobre o Kashima-no-Tachi , ou “espada de Kashima”, supostamente ensinada aos soldados Sakimori (防人) que eram destacados para proteger as fronteiras contra ameaças externas. A evolução do kenjutsu se deu basicamente na região de Kashima, Ibaraki, onde havia sete estilos sob a supervisão de sete sacerdotes xintoístas, e na região de Quioto, onde havia oito estilos sob a supervisão de oito monges budistas.
Os estilos de kenjutsu como conhecidos hoje foram tomando forma no período Muromachi (séculos 15 e 16), em particular no período Sengoku. Existem basicamente quatro estilos (alguns definem três) que foram a fonte da grande maioria dos estilos criados posteriormente:
• Shinkage-ryū, criado por Kami-izumi Ise-no-kami Hidetsuna a partir do Kage-no-nagare , criado por Aisu Ikôsai Hisatada;
• Tenshinshôden Katori Shintô-ryû, criado por Iizasa Chôisai Iga-no-kami Ienao ,o Kasumi Shinto Ryu e o Kashima Shinto Ryu;
• Chûjô-ryû, criado por Chujô Hyôgo-no-kami Nagahide ;
• Nen-ryû, criado pelo monge Nen-ami Jion , em particular o estilo Maniwa Nen-ryû .
O número de estilos de kenjutsu existentes teve uma grande expansão durante o período Edo (séculos XVI a XIX), registrando-se mais de 500 estilos de kenjutsu em seu auge. Foi nessa época que se começou a praticar kenjutsu com a shinai, a espada de bambu, e com o bogu, a armadura, no que foi o precursor do kendo moderno.
O Kenjutsu atingiu seu apogeu durante o período Edo (Ironicamente, um período de 200 anos de paz). Muitos praticantes do Kenjutsu começaram a questionar se uma compreensão mais elevada poderia ser conseguida não apenas com a prática mas também com o estudo da espada. Com o passar dos séculos surgiram centenas de estilos de Kenjutsu, muitos deles existentes ainda hoje. Estas escolas (em japonês ryu), conservam as técnicas de seus fundadores na forma de kata, sequências de movimentos em combate que visam preparar os praticantes para todas as situações que encontrará no combate.
Uma das armas de treinamento mais comuns é a espada de madeira ( bokuto ou bokken ) . Por várias razões, muitas escolas usam bokuto especificamente projetado , alterando sua forma, peso e comprimento de acordo com as especificações do estilo. Por exemplo, o bokuto usado dentro Yagyū Shinkage-ryū é relativamente fino e sem um guarda-mãos para combinar a abordagem característica da escola para combater. Alternativamente, os praticantes de Kashima Shin-ryū usam um bokuto mais grosso do que a média sem curvatura e com um punho bastante grande. Isso, obviamente, se presta bem aos princípios distintos de combate de Kashima Shin-ryū.
Algumas escolas praticam com fukuro shinai (uma espada de bambu coberta de couro ou pano) em circunstâncias em que o aluno não tem a capacidade de controlar com segurança um bokuto a toda velocidade ou como uma precaução geral de segurança. Na verdade, o fukuro shinai remonta ao século XV.
Durante o período Edo, as escolas proliferaram para mais de 500, e técnicas de treinamento e equipamentos avançados. O século XIX levou ao desenvolvimento da espada de prática de bambu, o shinai e armadura protetora, bogu . Isso permitiu a prática de técnicas de velocidade máxima em sparring, enquanto reduz o risco de danos graves para o praticante. Antes disso, o treinamento em Kenjutsu consistia principalmente na prática de técnicas básicas e no kata emparelhado , usando espadas de prática de madeira sólida ( bokutō ) ou lâminas vivas.

Classical Warrior Traditions of Japan – 3 volumes estabelecidos por Diane Skoss (Koryu Books):
• Koryu Bujutsu: Classical Warrior Traditions of Japan
• Espada e Espírito: Classical Warrior Traditions Of Japan, Volume 2
• Keiko Shokon: Classical Warrior Traditions of Japan, Volume 3

Leia também sobre

Kendô

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *